Você sabe o que são alimentos funcionais? Descubra!


Alimento funcional é aquele alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos e/ou efeitos benéficos à saúde, e deve ser seguro para consumo sem supervisão médica. A eficácia e a segurança desses alimentos devem ser garantidas por estudos científicos.

Atualmente, há um avanço das doenças crônicas degenerativas por conta de um estilo de vida desequilibrado que envolve maus hábitos alimentares e sedentarismo.

O consumo regular desses alimentos pode ser uma alternativa para conter o avanço dessas doenças
e fazer com que as pessoas se conscientizem que a alimentação tem um papel fundamental sobre sua saúde.

Os alimentos funcionais são vistos como promotores de saúde, pois apresentam componentes ativos capazes de prevenir doenças, mas não curá-las. Quando consumidos em sua forma natural, ou seja, como alimento, não apresentam contra indicações e podem ser consumidos com tranquilidade, sem prescrição médica.

Dentre as doenças mais investigadas estão as cardiovasculares, câncer, hipertensão, diabetes, doenças inflamatórias, intestinais, certas afecções reumáticas, Mal de Alzheimer, entre outras.

O ideal é que as pessoas passem a utilizar mais vegetais, frutas, cereais integrais em sua alimentação, já que grande parte dos componentes ativos estudados estão contidos nesses alimentos. Uma dica, por exemplo, é substituir em parte o consumo de carne de vaca, embutidos e outros produtos à base de carne vermelha por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados protéicos de soja) ou peixes ricos em ômega 3.

É importante lembrar que esses alimentos somente funcionam quando fazem parte de uma dieta equilibrada, balanceada. Isto quer dizer que se a pessoa estiver utilizando um alimento para o controle do colesterol, somente terá resultados positivos, se associá-lo a uma dieta pobre em gordura saturada e colesterol.

Classificação dos alimentos funcionais:
Alimentos probióticos:

O termo probiótico foi definido inicialmente como: “organismos vivos que quando ingeridos exercem efeito benéfico no balanço da flora bacteriana intestinal do hospedeiro” e ampliado posteriormente para: “organismos vivos que quando ingeridos em determinado número exercem efeitos benéficos para a saúde”.

A definição atual é: "suplemento alimentar microbiano vivo, que afeta de forma benéfica seu receptor, através da melhoria do balanço microbiano intestinal".

Os probióticos exercem as seguintes funções no organismo:

• Aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos, pois ocorre um aumento dos níveis de vitaminas do complexo B e aminoácidos. Absorção acrescida de cálcio e ferro;
Fortalece o sistema imunológico, através de uma maior produção de células protetoras;
• Possuem efeito funcional benéfico no organismo, equilibra a flora intestinal, atua no controle do colesterol e na redução do risco de cânceres;
• Possuem uma particular importância para os indivíduos com intolerância à lactose, devido ao aumento de uma enzima que facilita a digestão da lactose.

Segundo estudos recentes, além destas funções os probióticos também auxiliam no reforço do sistema imunológico, o que ajuda o organismo a criar defesas contra bactérias e microorganismos indesejáveis.

Os alimentos probióticos podem ser componentes encontrados no mercado, como leites fermentados, iogurte, ou na forma de pó ou cápsulas. Os leites fermentados são o principal exemplo de fonte de probióticos. Mas é preciso manter uma espécie de ritual de ingestão diária destas substâncias para que os efeitos desejados se comprovem.

Alimentos pré-bióticos:


Alimentos pré-bióticos são alimentos não digeríveis que beneficiam o hospedeiro por estimular seletivamente o crescimento ou também a atividade das bactérias residentes no cólon intestinal.

A ingestão de pré-bióticos aumentam a quantidade de bífido bactérias presentes no organismo, produz ácidos graxos de cadeia curta (ácido acético, láctico, etc.), diminui o pH intestinal, reduz o tempo em que o alimento fica no intestino, reduz a produção de substâncias putrefativas no intestino.

Como conseqüência influencia positivamente nas condições gerais de saúde, aumentando a conversão alimentar e ganho de peso.

Os alimentos prebióticos são alguns tipos de fibras alimentares, ou seja, carboidratos não digeríveis pelo nosso corpo, possuindo desta forma uma configuração molecular que os torna resistentes à ação de enzimas.

Os prebióticos apresentam as seguintes funções:


• Ajudam na manutenção da flora intestinal;
• Estimulam a motilidade intestinal (trânsito intestinal);
• Contribuem com a consistência normal das fezes, preve a diarréia e a constipação intestinal por alterarem a microflora colônica propiciando uma microflora saudável;
• Colaboram para que somente sejam absorvidas pelo intestino as substâncias necessárias, eliminando o excesso de glicose (açúcar) e colesterol, favorecendo, então a diminuição do colesterol e triglicérides totais no sangue;
• Possui efeito bifidogênico, isto é, estimulam o crescimento das bifidobactérias. Essas bactérias suprimem a atividade de outras bactérias que são putrefativas, que podem formar substâncias tóxicas.

Alimentos simbióticos:

Alimentos simbióticos são alimentos que contêm ingredientes pré e pró-bióticos. Estes ingredientes são utilizados para melhorar a saúde humana e animal.

Os dois podem ser encontrados em alimentos e também em medicamentos. Porém, é primordial consultar um especialista para saber exatamente quais as melhores fontes destas substâncias. No entanto, é importante saber que uma vida saudável está relacionada não somente com os alimentos que são ingeridos, mas também com o estilo de vida, a hereditariedade, influência do meio ambiente e atividade física.

Assim, é fundamental perceber que uma boa saúde não depende somente de alimentos funcionais e sim de vários fatores que juntos proporcionam uma vida saudável..

Tabela de alimentos funcionais

Fontes alimentares Benefícios à saúde Substância
Peixes de águas frias com alto teor de gordura; óleos vegetais (linhaça) Prevenção de doenças cardiovasculares
prevenção e controle de doenças auto-imunes e inflamatórias
Ácidos graxos
ômega-3
Milho, soja, trigo, óleos de madeira Redução do risco doenças cardiovasculares, diminui a absorção do colesterol Esteróis/estanóis vegetais
Uva,amora, framboesa, frutas cítricas, brócolis, repolho, chá verde, soja*,etc. Efeito antioxidante - ação sobre a formação de radicais livres e diminuição dos níveis de ldl-colesterol * alívio das ondas de calor em mulheres na menopausa Flavonóides
Frutas em geral (principalmente em
frutas vermelho escuras e roxas)
Prevenção de doenças cardiovasculares e câncer Antocianinas
Uva, morango, chá verde, chá preto Atividade antioxidante e inibição da formação de ateromas prevenção de
certos tipos de câncer
Catequinas
Frutas cítricas Estímulo à produção de enzimas protetoras contra o câncer e redução do colesterol Limonóides
Casca de uva, vinho tinto, maçãs Redução do risco de doenças cardiovasculares; inibição da formação de carcinógenos, coágulos e inflamações Resveratrol e quercetina
Soja, leguminosas, amendoim, alcaçuz,
legumes e ervilha
Alívio dos sintomas da menopausa redução do risco de doenças cardiovasculares e osteoporose redução do risco de câncer de mama
e próstata
Isoflavonas
Soja e derivados Redução do risco de doenças
cardiovasculares
Proteínas da soja
Aveia, cevada, legumes e alguns outros grãos Controle da glicemia e do colesterol sérico Betaglucana
Brócolis, repolho, couve-flor, rabanete
e folha de mostarda
Aumento da atividade de enzimas (tipo 2)
protetoras contra carcinogênese
Isotiocianatos e indol
Tomate, goiaba, melancia Atividade antioxidante
redução do risco de doenças cardiovasculares, proteção contra câncer, principalmente próstata
Licopeno
Folhas verdes (luteína)
pequi e milho (zeaxantina)
Proteção contra a degeneração macular
manutenção de uma boa visão
Luteína e zeaxantina
Linhaça Inibição de tumores hormônio dependentes Lignanas
Alho e cebolas Redução risco doenças cardiovasculares estímulo
à produção de enzimas protetoras contra o câncer gástrico
Sulfetos alílicos
(alil sulfetos)
Grãos integrais, frutas e vegetais em geral Melhora da saúde intestinal
redução do risco de câncer do cólon controle do colesterol
Fibras/prebióticos (fibras insolúveis
e solúveis frutooligossacarídeos, inulina, etc.)
Leites fermentados, iogurtes, etc. Melhora da saúde intestinal
redução do risco de câncer do cólon melhora da intolerância à lactose
Probióticos (bifidobactérias e lactobacilos)

Um comentário:

ARI LOPES disse...

Otimo Blog.
estou seguindo.

Abraços

Ari

Google